“A era dos Smartphones está começando a terminar” decretou Amy Webb fundadora do Future Today Institute e professora na escola de negócios da NYU, durante palestra na SXSW. Os novos devices serão fundamentais para esta transformação. Pulseiras, óculos, relógios… tudo ajudará no processo de substituição gradual das telas por uma interface mais falada e não visual. 50% das pessoas em países industrializados terão interação por voz em 2021.

A questão é saber o que ainda vem por aí. Amy Webb aponta uma tendência: voltaremos a ter vários aparelhos com funções diferentes. Se nos anos 90 era comum um aparelho para atender cada necessidade (discman, mp3, câmera, telefone), agora um único smartphone atende bem a todas essas funções. Para Webb, porém, a tendência é que vamos voltar a utilizar vários devices.

A Amazon, por exemplo, anunciou em 2017, novos dispositivos Echo equipados com a assistente Alexa. São ao todo quatro novos aparelhos com preços que começam em US$ 35, além de uma acessório.

O principal produto da linha é o Echo Plus. Com o mesmo tamanho do modelo original, ele agora pode funcionar como um hub inteligente e ajuda a gerenciar a sua casa. Ele vai ser lançado em três cores por US$ 150 e vem pré-programado para funcionar com mais de 100 dispositivos diferentes, incluindo lâmpadas inteligentes e fechaduras.

Segundo Christopher Ferrel, diretor de estratégias digitais da The Richards Group, se fomos educados a pensar “Mobile First” é bom começarmos a mudar para “Voice First”. Pensar em mudanças de “screens, visual web e face-down” para “speakers, áudio-web e chin-up”. Uma transformação considerável na forma de utilização por parte dos consumidores e, consequentemente, em nossa função enquanto profissionais.

A tecnologia no futuro foi o tema da palestra na South by Southwest (SXSW), evento de economia criativa e tecnologia que acontece entre os dias 9 e 18 deste mês em Austin, Estados Unidos. Na edição de 2018 do festival, a futurista Amy Webb apresentou seu 11º relatório de tendências para o futuro, destacando o que deve impactar o mundo dos negócios este ano. O relatório está disponível e pode ser acessado gratuitamente.